quarta-feira, 10 de julho de 2013

Crianças e adolescentes soltam pipas nas ruas de Santa Inês e vivem em constante perigo.



Cenas como esta são comuns nas ruas de Santa Inês

Com a chegada das férias é sem dúvida o período em que as pipas passeiam livremente no céu. Além de proporcionar a diversão, o ato de empinar pipas pode ser perigoso quando não são tomados os cuidados necessários que vão desde a escolha do local para empiná-las, evitando graves conseqüências caso a brincadeira seja praticada próximo à rede elétrica e em ruas de grande movimentação.
Nossa equipe de reportagem passou por vários locais onde os jovens empinam pipas mesmo sabendo que é perigoso. Não é difícil encontrar crianças e adolescentes tentando soltar pipa em um espaço curto e em ruas centrais de grande movimentação de Santa Inês,  como por exemplo o Beco do Cajueiro que fica ao lado da Caixa Econômica e Rua Osvaldo Cruz. Ruas localizadas ao  redor da Praça da Matriz também são escolhidas para soltar pipas, o que é um perigo em razão do grande número de postes que existe na praça  fazendo com que muitas vezes, as linhas das pipas se rompam provocando uma correria de quem está brincando que correm para o meio das ruas na tentativa de recuperá-las sem olhar o trânsito., o que é um perigo.
DADOS DO PERIGO
Segundo dados da Companhia Energética do Maranhão (Cemar), de janeiro a junho deste ano, esta brincadeira foi responsável por 1.021 ocorrências de interrupção no fornecimento de energia elétrica afetando 906.291 mil consumidores em todo o Estado do Maranhão.
O uso do cerol (mistura cortante feita com cola, vidro e as vezes de materiais condutores de energia) é um dos principais causadores dos desligamentos, pois geralmente causam o rompimento dos cabos de energia quando entram em contato com a rede elétrica. Além disso, muitos curtos circuitos são provocados pela tentativa de retirada de papagaios presos aos cabos.
Para soltar pipa com segurança, pais de crianças e adolescentes devem conversar com os filhos sobre medidas de segurança na hora da brincadeira. Seguem algumas dicas que precisam ser observadas:
- Solte pipas longe dos fios, procure espaços abertos para evitar o risco de contato com a rede elétrica e acidentes mais graves.
- Não suba em paredes de casas ou lajes. Não é seguro e qualquer distração pode resultar em choques – caso a pipa se prenda na rede elétrica – e quedas.
- Não solte a pipa em ruas ou de grande movimentação de veículos.
- Caso a pipa fique presa, não tente recuperá-la. Não suba em telhados, postes ou torres de transmissão. Jamais tente removê-la utilizando canos, vergalhões e bambus. Objetos de metal, como ferro, alumínio e cobre, ou qualquer tipo de material molhado, provocam choques violentos quando em contato com os fios da rede elétrica.
- Aos primeiros sinais de tempestade, interrompa a brincadeira. Recolha a pipa que, nesta situação, funciona como pára-raios, conduzindo energia.
- Aprenda a fazer e soltar pipas sem “rabiola”, como as do tipo arraia.

Fonte : Agora Santa Inês